Os curativos são os tratamentos realizados para cuidar de feridas na pele, e existem diversos tipos de curativos disponíveis. Entretanto, para escolher um curativo da maneira correta, é preciso ter um conhecimento de feridas e saber como tratá-las.

Um curativo ideal deve manter uma boa umidade entre ele e a ferida, favorecendo o crescimento da pele, diminuindo a dor e removendo os tecidos necrosados. Deve ainda permitir trocas gasosas, oferecer isolamento térmico e funcionar como barreira contra bactérias.

Quais são os tipos de curativos e como fazer a escolha certa? Neste artigo listamos algumas dicas valiosas na hora de fazer a sua escolha. Confira!

Curativos semi-oclusivos ou oclusivos

Esses são os curativos que fazem um isolamento no ferimento de acordo com a gravidade da situação. Os semi-oclusivos são aqueles que permitem que a lesão entre em contato com o ar, garantindo que a pele respire. É interessante observar que caso haja vazamento de alguma secreção, esse curativo absorve os líquidos sem que eles voltem a entrar em contato com a pele.

Por outro lado, o curativo oclusivo isola totalmente a ferida, mantendo a pele longe de bactérias e fungos. Esse tratamento deve absorver as secreções e ainda manter o isolamento térmico do corpo. O ideal é que seja feito por um agente de saúde, exceto nos casos de tratamentos prolongados. Nessa situação, o agente deve treinar o cuidador para fazer a troca em casa, dependendo da avaliação médica.

Curativos de compressão

Os curativos de compressão devem ser feitos colocando gazes sobre as lesões para conter os sangramentos. Para que funcionem perfeitamente, é preciso utilizar a pressão para que o sangramento da pele seja interrompido e, dessa forma, possam ser feitos os demais procedimentos — como curativos especiais e pontos para unir a área lesionada.

Vale lembrar que esses procedimentos só podem ser realizados em hospitais e por profissionais capacitados. Além disso, é preciso ter atenção com o volume do sangramento e, em casos de fluxos intensos ou jatos, é necessário procurar a emergência.

Curativos hidrocoloides

Os curativos feitos com hidrocoloides são indicados para o tratamento de áreas lesionadas com feridas com pouca exsudação (que é o transbordamento de líquido na superfície da pele).

Os hidrocolóides podem ficar na pele por até 7 dias e são impermeáveis a microrganismos e água. Esses curativos são capazes de isolar a ferida do meio externo, além de evitar o ressecamento e a perda de calor, mantendo a umidade. Tais fatores ajudam a promover a cicatrização mais rápida da ferida.

Curativos alginatos

Os curativos alginatos são indicados para feridas em que há médio ou alto vazamento de líquidos na superfície. Esses curativos são produzidos a partir de algas marinhas que interagem com as feridas. A interação resulta na produção de um gel que é hidrofílico (que não se mistura com água) a partir da absorção das secreções. É preciso destacar que esses curativos necessitam de uma camada protetora de gazes.

Curativos de carvão ativado

O carvão ativado contém prata na sua composição, cuja função é a ação antibactericida. Essa substância é importante para tratar feridas infectadas, com vazamentos e odor. Os curativos à base de carvão ativado também necessitam de camada secundária de proteção.

Curativos prontos

Por fim, em caso de feridas leves — principalmente em locais que entram em contato com água e sujeira constantemente — são recomendados os curativos prontos, como band-aid. Entretanto, é preciso ter cuidado para não usar esparadrapo ou fita adesiva diretamente no local afetado, pois isso pode aumentar a lesão.

Além desses, é possível ainda encontrar outros tipos de curativos que variam de acordo com cada ferida. Assim, é de extrema importância ter conhecimento sobre o assunto para cuidar de pessoas lesionadas da melhor forma possível, sem colocar a saúde delas em risco.

Gostou de saber mais sobre os tipos de curativos? Restou alguma dúvida sobre o assunto? Deixe um comentário!

Share This