O trabalho de cuidador de idosos é árduo, mas ao mesmo tempo recompensador, pois permite que o profissional dedique sua vida a cuidar de outras pessoas, garantindo que essas tenham uma melhor qualidade de vida. 

Para exercer essa função é preciso uma capacitação na área por meio de um curso livre. No entanto, mais do que formação específica, um bom cuidador de idosos precisa desenvolver características específicas como a empatia profissional.

Se você quer saber como praticar a empatia pode contribuir para que seja um bom profissional, leia este artigo até o final!

O trabalho de cuidador de idosos

A profissão de um cuidador de idosos é bastante complexo pois envolve muitas responsabilidades. Cabe ao cuidador zelar pelo bem-estar geral da pessoa que está sob sua supervisão, melhorando a sua qualidade de vida e desempenhando as seguintes atividades:

  • cuidar das condições de higiene do paciente (pode incluir dar banho, trocar fraldas, escovar os dentes etc.);

  • preparar e servir a alimentação do idoso, seguindo orientações nutricionais de acordo com a prescrição de um especialista;

  • fazer companhia ao idoso para que seu dia seja mais agradável;

  • ministrar medicamentos via oral e se atentar para que as recomendações médicas sejam seguidas;

  • cuidar para que o ambiente no qual vive o paciente esteja limpo, organizado e seguro, evitando acidentes.

Além das atribuições mencionadas acima é de extrema importância que o profissional dessa área desenvolva determinadas características que farão com que o trabalho seja mais humanizado, como a empatia. Saiba o que é a empatia e como ela ajuda no trabalho a seguir!

O que é empatia

A empatia pode ser definida como a capacidade de se colocar no lugar do outro, levando em consideração suas emoções e reações e o caminho que essa pessoa percorreu até chegar onde ela está hoje. Ou seja, a ideia é tentar compreender o seu pensamento para entender o porquê de determinado comportamento.

Uma pessoa que pratica empatia acredita que cada ser humano é único, tem por hábito escutar antes de falar, observa a linguagem corporal, não faz julgamentos e acima de tudo, não finge.

Como a empatia profissional ajuda no cuidado

Desenvolver empatia profissional no cuidado com o idoso pode ser um grande diferencial na hora de desempenhar o seu trabalho, pois quando a pessoa envelhece, ela pode passar a ter algumas limitações físicas e psíquicas.

Nesta fase, o idoso e a família precisam de alguém que possa compreender as suas condições e oferecer o maior conforto e qualidade de vida. Nesse sentido, a empatia profissional, mais do que ajudar a se colocar no lugar do paciente, ajuda a desenvolver outras características primordiais para o trabalho, como:

  • paciência para lidar com idosos que apresentam dificuldade em compreender e executar ações simples;

  • confiança, pois o idoso precisa sentir que está seguro sob seus cuidados;

  • autocontrole para lidar com situações adversas;

  • flexibilidade para entender que o trabalho conta com fatores imprevisíveis (doença, internação, morte do paciente).

Como vimos, a empatia profissional é uma característica fundamental para o desenvolvimento profissional e pessoal, afinal, quando sentimos empatia, compreendemos o outro de forma mais completa.

Se você gostou deste artigo e quer saber mais sobre tudo que envolve essa profissão, não perca tempo e assine a nossa newsletter para receber todas as novidades no seu e-mail!

Escreva um comentário

Share This