Saber como aferir pressão arterial corretamente é um dos aspectos mais importantes para a prevenção e controle da hipertensão. Em termos de saúde pública, essa doença é uma das mais preocupantes devido à sua relação com problemas que afetam o coração e outros órgãos do corpo.

Os profissionais de saúde — sobretudo os cuidadores de idosos — precisam entender a importância desse procedimento. A constante vigilância dos sintomas da hipertensão é essencial para reduzir o risco de doenças como o Infarto e o Acidente Vascular Cerebral (AVC).

Diante disso, selecionamos algumas dicas importantes para medir a pressão corretamente. Veja, então, o passo a passo para realizar esse procedimento com eficiência e segurança. Boa leitura!

O que é a Hipertensão?

A hipertensão arterial — ou pressão alta — é uma doença comum na população adulta, principalmente em idosos. Em síntese, a pressão arterial indica a velocidade que o fluxo de sangue circula nas artérias. Quanto maior essa pressão, maior o risco de doenças.

Considerada uma doença silenciosa, a constante aferição da pressão arterial é um modo seguro de avaliar as condições de saúde de um indivíduo. Independentemente da idade, a pressão alta é um dos fatores de risco para doenças cardiovasculares e cerebrais.

Logo, saber como aferir pressão é um ato fundamental para a manutenção da saúde. Esse controle da Hipertensão é necessário, já que ela está associada a doenças como Diabetes, Obesidade, AVC e Infarto do miocárdio, entre outras.

Qual a importância de medir a pressão arterial?

Apesar de ser um ato considerado simples, não raro, a medição da pressão arterial ocorre de forma incorreta. Um dos erros que mais acontecem na hora de aferir a pressão é não orientar adequadamente o paciente e nem prepará-lo para o procedimento.

É preciso explicar ao paciente como aferir pressão arterial é imprescindível para o controle de diversas doenças da senilidade. Além disso, algumas situações rotineiras podem resultar em uma interpretação errônea do nível de hipertensão.

Entre os fatores mais comuns estão o hábito de fumar, a bexiga cheia e a realização de atividade física antes de medir a pressão. O cuidador de idosos ou o responsável pela realização do procedimento precisa estar atento a isso.

Assim, a correta avaliação dos valores obtidos por esse procedimento é fundamental para direcionar condutas mais adequadas. Por isso, medir a pressão constantemente é um importante meio de descartar ­— ou de confirmar — a existência de doenças cardiovasculares e cerebrais.

Quais os principais cuidados exigidos antes e durante esse procedimento? Como a medição incorreta da pressão arterial pode comprometer o diagnóstico e colocar em risco a saúde do idoso? É o que será explicado no próximo tópico!

Como aferir pressão corretamente?

Algumas orientações são essenciais antes de aferir a pressão arterial, principalmente em idosos. Para não prejudicar o resultado, os pacientes precisam estar confortavelmente sentados e com a coluna reta.

A bexiga cheia pode influenciar os resultados. Por isso, oriente seus pacientes a esvaziarem a bexiga antes de medir a pressão. Também é recomendável que eles fiquem em repouso durante uns 5 minutos antes da realização do procedimento.

A fim de manter o controle das funções cardiovasculares, a orientação médica é que a pressão dos idosos seja avaliada com frequência. Porém, em pessoas que não compõem o grupo de risco, a pressão pode ser medida apenas 1 vez ao ano.

Há vários tipos de aparelhos para medição da pressão arterial. No entanto, os mais comuns são os digitais e os manuais. Confira, agora, como aferir pressão corretamente:

Como medir a pressão com aparelho digital?

Alguns passos devem ser seguidos para obter resultados corretos. O aparelho digital é bem fácil de manusear, entretanto, é necessário conferir se ele está calibrado adequadamente.

Para aferir a pressão arterial com esse tipo de aparelho, siga as instruções com atenção:

  1. comece a aferição no braço esquerdo;
  2. coloque a braçadeira do aparelho uns 2 ou 3 cm acima do cotovelo;
  3. procure fixá-lo de forma que o fio da braçadeira fique firme por cima do braço;
  4. peça ao paciente para deixar o cotovelo relaxado e a palma da mão (aberta) virada para cima;
  5. ligue o aparelho e espere até que ele faça a leitura da pressão arterial;
  6. anote o valor que aparecer no visor;
  7. deixe o paciente repousar por uns 5 minutos;
  8. faça a aferição novamente, de preferência, no outro braço do paciente;
  9. confira se o valor encontrado é igual. Caso não seja, repita o procedimento nos 2 braços do paciente.

Como medir a pressão com esfigmomanômetro?

Um dos aparelhos mais utilizados é o esfigmomanômetro, que deve ser usado junto com o estetoscópio. Veja os passos para utilizar esse aparelho de forma correta:

  1. coloque a cabeça do estetoscópio na dobra do braço esquerdo;
  2. sinta o pulso do paciente;
  3. posicione a braçadeira do aparelho 2 ou 3 cm acima da dobra do braço;
  4. aperte a braçadeira de forma que o fio dela fique por cima do braço;
  5. feche a válvula da bomba;
  6. coloque o estetoscópio nos ouvidos;
  7. infle a braçadeira até aos 180 mmHg ou até não ouvir mais os sons da pulsação no estetoscópio;
  8. abra a válvula lentamente, enquanto olha para o manômetro (a parte do aparelho onde mostra os números);
  9.  fique atento ao primeiro som e registre-o, pois é o primeiro valor da pressão arterial;
  10. continue a esvaziar a braçadeira até parar de ouvir o som. Quando não ouvir mais o som, registre o último valor.

Como interpretar os resultados?

É preciso atenção para interpretar os resultados mostrados no aparelho, principalmente quando é usado o aparelho manual. Junte os dois valores para obter a pressão arterial: quando o primeiro valor é 120 mmHg e o segundo é 80 mmHg, por exemplo, indica que a pressão arterial é de 120 x 80 mmHg (ou 12 por 8).

Geralmente, os aparelhos apresentam um número com três dígitos. Anote o número todo ou coloque uma vírgula antes do último número. O primeiro número corresponde à pressão sistólica ou máxima.

No exemplo acima, será o “12” do correspondente ao “12 por 8”. O segundo valor indica a pressão diastólica ou mínima (nesse caso, o “8”).

Por que o cuidador de idoso deve saber como aferir pressão?

cuidador de idosos precisa estar apto para saber quando deve medir a pressão arterial. Isso pode ajudar o idoso a manter a saúde em dia. Em pacientes hipertensos, a pressão deve ser verificada, no mínimo, uma vez por semana. 

Mas se houver sintomas como tonturas, dor de cabeça, visão turva ou dores no tórax, também é preciso conferir a pressão. Todavia, mesmo na ausência de sintomas, quando os valores estiverem acima de 140/100 mmHg, o ideal é procurar um hospital. 

O cuidador de idosos precisa saber como aferir pressão corretamente, assim como identificar outros sinais vitais. Isso é imprescindível para assegurar os cuidados exigidos pela terceira idade. Nessa fase, é comum o surgimento de doenças, sobretudo aquelas associadas ao coração e ao cérebro.

Contudo, essas doenças podem ser evitadas por meio de práticas de promoção à saúde. Nesse sentido, saber como aferir pressão arterial é fundamental para efetivar o controle da hipertensão e de outros problemas que comprometem a qualidade de vida dos idosos.

Gostou deste artigo? Então compartilhe-o em suas redes sociais para que seus amigos também conheçam essas dicas!

Escreva um comentário

Share This