Tag

vida real

Browsing

Cuidar do outro requer entendimento da vida humana, principalmente, na velhice

Atenção Cuidador de Idoso! Mantenha uma boa relação com seu paciente e os familiares dele em casa ou no hospital o acompanhando. Não comece um trabalho nessa área de cuidar do outro” se você tem preconceito quanto à velhice e é daqueles que soltam frases absurdas por aí: “Que velho chato!”; “Que velho rabugento!”, “Que velho cheio de manias!”. Não é bem assim, chato e rabugento podemos ser em qualquer momento, independente da idade. Manias? Se a gente procurar, acha em nosso dia a dia, não é mesmo? O trabalho do cuidador é uma conquista diária e se você fizer o necessário no seu plantão estará cumprindo o grande e importante papel do profissional. Seja atencioso e não dê ouvidos aos sinais negativos a respeito do idoso. Apresente-se com seu uniforme impecável, seu material de uso sempre por perto. Seja atencioso, simpático, educado e não deixe o mau humor lhe…

Quando papéis se invertem: dilemas dos filhos que têm que cuidar dos pais

Texto de Priscilla Auilo Haikal – Site VivaBem Assim é o ciclo da vida: somos cuidados e temos alguém que zela pela nossa saúde, mas em determinado momento os papéis se invertem e cabe a nós todas as decisões sobre aqueles que protagonizaram nossa criação. Com o processo de aumento da longevidade, é esperado que o número de pessoas que vivem com algum tipo de doença neurodegenerativa também se eleve. No caso da demência, por exemplo, a projeção é que o diagnóstico triplique de 50 milhões para 152 milhões até 2050, segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde). Isso porque a chance de desenvolver doenças degenerativas cresce conforme a idade avança, e os novos quadros já correspondem a 55 mil diagnósticos por ano. Nesse contexto, quando uma mãe ou um pai se torna totalmente dependente de atenção e auxílio, além de aceitação e entendimento, é preciso que o filho desenvolva habilidades…

Elevando a autoestima e renovando as esperanças para além da pandemia

Vivemos um momento onde a tecnologia oferece tantas opções e oportunidades de mudanças de vida em todos os sentidos. Embora isso aconteça é muito comum sentirmos um vazio, desesperança, descontentamento, infelicidade. São tempos difíceis, que nem sempre as coisas acontecem como queremos. Antes da pandemia, estávamos vivendo de forma corrida, não tínhamos tempo pra nada! Vivíamos ocupados com nossas tarefas do dia a dia. De repente fomos “forçados a parar”, a pandemia nos parou. Começamos a ser um pouco mais reflexivos… a prioridade era sempre o outro! Priorizar o outro nos faz ter baixa autoestima, nos trazendo tristeza constante, infelicidade, insatisfação, pessimismo, além da sensação de insuficiência, de nos sentirmos feios, pois não temos tempo pra nós mesmos. Abandonamos nossos sonhos e projetos, acumulamos lixo emocional. É preciso saber dizer NÃO, quando não queremos fazer algo. Quando não nos amamos, não rompemos! Ficamos estagnados, sem conseguir dar sequência aos nossos…

× Fale com a Dila!