Tag

dila oliveira

Browsing

Bolsa de Colostomia

Bolsa de Colostomia: o que é isso? Bolsa de Colostomia. Para quem nunca ouviu falar sobre o assunto, entenda o que é e como tudo acontece. É um tipo de ostomia que consiste na ligação do intestino grosso diretamente à parede do abdômen. Esse processo permite a saída de fezes para uma bolsa, quando o intestino não pode ficar ligado ao ânus. Isso normalmente ocorre após cirurgias para tratar problemas no intestino, como câncer ou diverticulite, por exemplo. Cuidados com a bolsa de colostomia Para trocar a bolsa da colostomia é recomendado: Retirar a bolsa, descolando lentamente para não magoar a pele. Uma boa dica consiste em colocar um pouco de água morna na região para ajudar a descolar mais facilmente; Limpar o estoma e a pele em volta com um pano macio limpo umedecido em água ou soro fisiológico. Não é necessário utilizar sabão, mas, caso se prefira, é recomendado um sabão neutro, que deve ser bem retirado com água limpa antes…

Catarata: um grande obstáculo na visão dos idosos

Se você tem catarata na terceira idade, saiba que não está sozinho. É divulgado pela mídia que no Brasil a doença atinge 7 entre 10 idosos, a partir dos 70 anos. Mas essa estatística não é para ser um conforto como união de todos com catarata e muito pelo contrário deve ser encarada como alerta para a solução imediata do problema. A catarata é a principal causa de cegueira reversível em todo o mundo – um grande obstáculo que segue crescendo nos olhos dos idosos. A visão começa a ficar borrada e os objetos ficam distorcidos. Há dificuldade para determinar cores, dificuldade de se enxergar com muito sol e também para dirigir à noite. O envelhecimento contribui para a diminuição discreta da visão humana, mas com o avanço da idade a catarata, progressivamente, compromete a “lente natural dos olhos”. É chamado de “cristalino”, localizado no interior do olho, atrás da íris e junto…

Curso de Cuidador para quem busca uma formação profissional

Ser ou não ser um profissional que oferece cuidados ao paciente em casa? O Curso de Cuidador Dila Oliveira dá a dica: o ser é muito melhor do que o não ser nada. Hoje, a formação de “cuidador domiciliar” é uma realidade para o mercado de trabalho. Para você que não tem nenhuma formação profissional e ainda está pensando o que vai fazer da vida. Não perca tempo! Estamos à sua disposição para orientá-lo como você pode ter uma nova perspectiva profissional com o nosso Curso de Cuidador Dila Oliveira. Já pensou que atualmente vivemos dias corridos sem conseguir dar atenção a quem precisa em casa? Pessoas doentes, com necessidades especiais… Pois é, essa tarefa tem sido cada vez mais difícil, mas necessária. É aí é que os cuidadores desempenham a função de acompanhar, apoiar e cuidar das pessoas. Contratar o serviço de um profissional da saúde é a garantia…

Cuidar do outro requer entendimento da vida humana, principalmente, na velhice

Atenção Cuidador de Idoso! Mantenha uma boa relação com seu paciente e os familiares dele em casa ou no hospital o acompanhando. Não comece um trabalho nessa área de cuidar do outro” se você tem preconceito quanto à velhice e é daqueles que soltam frases absurdas por aí: “Que velho chato!”; “Que velho rabugento!”, “Que velho cheio de manias!”. Não é bem assim… Chatos e rabugentos podemos ser em qualquer momento, independente de da idade. Manias? Se a gente procurar, acha em nosso dia a dia, não é mesmo? O trabalho do cuidador é uma conquista diária e se você fizer o necessário no seu plantão estará cumprindo o grande e importante papel do profissional. Seja atencioso e não dê ouvidos aos sinais negativos a respeito do idoso. Se apresente com seu uniforme impecável, seu material de uso sempre por perto. Seja atencioso, simpático, educado e não deixe o mau humor…

Mutação do Corona Vírus

por Cleide Carvalho, Jornal Extra SÃO PAULO — Desde fevereiro, quando a variante brasileira do coronavírus passou a lotar hospitais, médicos passaram a observar uma maior gravidade dos casos. Em Araraquara (SP), onde o número de internações explodiu com a chegada na nova cepa, especialistas acompanham com preocupação a evolução da doença. Depois de dez dias de lockdown, o número de casos no município do interior paulista caiu, mas o número de internados em estado grave ainda surpreende. Segundo a Secretaria de Saúde de Araraquara, 0,8% dos pacientes com Covid-19 hospitalizados em 2020, em UTI ou enfermaria, morreram. Este ano, com a predominância da nova cepa, a taxa subiu para 1,7%. — A doença evolui de uma maneira diferente. O paciente que está conversando com você pela manhã, à tarde já está com insuficiência respiratória e à noite, intubado — diz Eliana Honain, secretária de Saúde do município, onde 93%…

× Fale com a Dila!