Ressaca – causas e sintomas
O efeito do álcool em seu organismo



A noite acabou e você se depara com a luz do sol ardendo seus olhos. A boca está seca e com gosto amarga. Você tenta se levantar e nota certa tontura. Neste momento, você repara que está com uma dor de cabeça terrível e, como se não bastasse, há uma náusea que só não provoca vômitos porque o seu estômago está completamente vazio. A sensação terrível é seguida pela frase: “Nunca mais vou beber na vida”. 

Isso lhe soa familiar?

O álcool é uma das drogas mais consumidas em todo o mundo. Os mais recentes dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) mostram que cerca de 30% dos homens e 10% das mulheres no Brasil consomem álcool em excesso pelo menos uma vez por semana. Além disso, quase 80% dos jovens consomem bebidas alcoólicas regularmente.
 
Em um estudo financiado por instituições europeias como o Conselho de Pesquisa Médica do Reino Unido, a British Heart Foundation e o Instituto Nacional de Pesquisa pela Saúde, foi analisado os efeitos do álcool em cerca de 600 mil participantes espalhados por 19 países.
A conclusão foi que beber 100 gramas de álcool – o equivalente a sete copos de cerveja ou vinho – por semana aumenta, sim, o risco de morte e doenças cardiovasculares.

 

Além da ressaca – saiba como o álcool atua em outros órgãos do corpo

 
Cérebro

Trinta segundos depois de seu primeiro gole, o álcool está em seu cérebro. Ele retarda as interações entre os neurônios. Isso altera seu humor, retarda seus reflexos e altera seu equilíbrio.  Se você beber muito, por muito tempo, a bebida pode afetar a forma e o funcionamento do seu cérebro. As células começam a sofrer alterações diminuem de tamanho e isso terá grandes efeitos em sua capacidade de pensar e lembrar-se de coisas. Também pode tornar mais difícil manter uma temperatura corporal estável e controlar seus movimentos.

Sono

O efeito de desaceleração do álcool em seu cérebro pode deixá-lo sonolento, para que você possa cochilar com mais facilidade. Mas você não vai dormir bem. Seu corpo processa álcool durante a noite. Uma vez que os efeitos desapareçam, isso deixa você agitado.  As chances de ter pesadelos são maiores. Você provavelmente também acordará com mais frequência para ir ao banheiro.

Estômago

A bebida irrita o revestimento do seu estômago e faz seu suco digestivo fluir. Quando ácido e álcool se acumulam, você fica enjoado e pode vomitar. Anos de ingestão pesada podem causar feridas dolorosas as chamadas úlceras no estômago.

 

Frequência urinária

Seu cérebro libera um hormônio que impede seus rins de produzir urina em excesso. Mas quando o álcool entra em ação este hormônio é bloqueado. Isso significa que você precisa ir mais vezes, o que pode deixá-lo desidratado. Quando você bebe durante anos, essa carga de trabalho extra e os efeitos tóxicos do álcool podem desgastar os rins.

Os passos para a doença hepática

Seu fígado quebra quase todo o álcool que você bebe. No processo, ele lida com muitas toxinas. Com o tempo, o consumo excessivo de álcool torna o órgão mais adiposo e permite que tecidos mais espessos e fibrosos se acumulem. Isso limita o fluxo sanguíneo, então as células do fígado não conseguem fazer o que precisam para sobreviver. Enquanto eles morrem, o fígado fica com cicatrizes e para de funcionar. É doença a cirrose.

Danos no pâncreas e fígado

O pâncreas é o responsável pela fabricação de insulina e de enzimas digestivas. O álcool pode causar uma inflamação neste órgão, e essa inflamação pode evoluir para uma pancreatite. O fígado passa a produzir mais enzimas para metabolizar o etanol e isso culmina com uma inflamação crônica e hepatite alcoólica, podendo evoluir para cirrose.

O que é uma ressaca?

Aquela “manhã de algodão”, de olhos turvos, não é por acaso. O álcool deixa você desidratado e faz com que os vasos sanguíneos do seu corpo e do cérebro se expandam. Isso lhe dá dor de cabeça. Seu estômago quer se livrar das toxinas e do ácido que a bebida produz lhe causando náuseas e vômitos. E porque seu fígado estava tão ocupado processando álcool, não liberava açúcar suficiente em seu sangue, provocando fraqueza e tremores.

Coração

Uma noite de bebedeira pode confundir os sinais elétricos que mantêm o ritmo do seu coração. Com o tempo, faz com que os músculos do coração percam a elasticidade o que dificulta o bombeamento do sangue. Isso afeta todas as partes do corpo.

Uma mudança na temperatura corporal

O álcool aumenta os vasos sanguíneos, fazendo com que mais sangue flua para a sua pele. Isso faz você corar.  O calor desse sangue extra passa direto para o resto do corpo, fazendo com que sua temperatura caia. Por outro lado, beber em longo prazo aumenta sua pressão arterial. Isso faz com que o seu corpo libere hormônios do estresse que restringem os vasos sanguíneos, de modo que seu coração precisa bombear com mais força para empurrar o sangue.

 

​S​istema imunológico 

Você pode não ligar um resfriado a uma noite de bebedeira, mas pode haver uma conexão. O álcool põe freios no seu sistema imunológico. Seu corpo não consegue produzir o número de glóbulos brancos necessários para combater os germes. Então, por 24 horas depois de beber, é mais provável que você fique doente. Em longo prazo, os bebedores pesados ​​são muito mais propensos a ter doenças como pneumonia e tuberculose.

Hormônios

Essas substâncias poderosas gerenciam tudo, desde o seu desejo sexual até a rapidez com que você digere os alimentos. Para manter tudo funcionando bem é preciso dos hormônios no equilíbrio certo. Mas o álcool os joga fora de sintonia. Nas mulheres, isso pode reduzir os períodos menstruais e causar problemas para engravidar. Nos homens, isso pode significar problemas para ter uma ereção, uma menor contagem de espermatozoides, diminuição dos testículos e crescimento da mama.

Ossos

Beber pesado pode prejudicar seus níveis de cálcio.  Junto com as mudanças hormonais que o álcool desencadeia isso pode impedir seu corpo de construir um novo osso. Eles ficam mais finos e mais frágeis, uma condição chamada osteoporose. A bebida também limita o fluxo de sangue para os músculos e fica no caminho das proteínas que as formam. Com o tempo, você terá menor massa muscular e menos força.

Mas o que causa a sensação de ressaca?

O álcool deixa você desidratado e faz com que os vasos sanguíneos do seu corpo e do cérebro se ampliam. Isso lhe dá dor de cabeça. E porque seu fígado estava tão ocupado processando álcool que não liberava açúcar suficiente provocando fraqueza e tremores.

   ​

Como se livrar de ressaca?

Não acredite em mitos, o negócio é prestar atenção na quantidade de álcool que você está bebendo

 

Escreva um comentário

× Fale com a Dila!