Se por um lado conviver com idosos é muito bom devido a sabedoria e a experiência de vida que eles têm para passar, por outro, pode ser um verdadeiro desafio. Isso acontece, pois, ao se verem na situação de limitação e dependência, essas pessoas tendem a ficar teimosas e não aceitar sugestões da família ou de um cuidador profissional. Dessa forma, faz com que a relação entre o idoso e família seja conturbada.

Nessa situação, o cuidador precisa ter muita cautela e discernimento para não tomar nenhuma atitude que prejudique o paciente e nem desagrade a família contratante.

Neste artigo separamos algumas dicas para lidar com a relação conturbada entre o idoso e a sua família, para evitar esse tipo de situação constrangedora. Continue a leitura e saiba como agir nessas situações!

Seja neutro

Ao ser contratado por uma família para cuidar de um ente querido, o cuidador de idoso precisa ter a postura profissional adequada para se manter neutro em relação às questões domésticas. Por isso, em caso de discussões ou assuntos que geram algum tipo de constrangimento, evite tomar um lado para não perder a confiança do idoso ou mesmo da família.

Priorize a segurança do idoso

Apesar de ser indicado não se intrometer em discussões familiares, o cuidador de idosos precisa se posicionar em assuntos que sejam referentes aos cuidados com o paciente. Afinal, o mais importante é mantê-lo seguro e saudável.

Por essa razão, sempre que notar que algum cuidado básico esteja a desejar e a qualidade de vida do paciente possa estar prejudicada de maneira que a comprometa, converse com a família de forma educada e exponha seu ponto de vista a partir da orientação do médico e de dados concretos.

Evite assuntos polêmicos

Se existe algum assunto polêmico que causa discordância entre idoso e família, você certamente precisa evitá-los. Ao lidar com pacientes mais velhos, é comum que temas como política, costumes, religião, dentre outros, cause algum constrangimento, em virtude da diferença de idades (e consequentemente na forma em que foram criados). Por essa razão, evite ao máximo falar desses assuntos e, caso o paciente queira conversar, evite discutir ou prolongar a discussão e mude de assunto.

Evite dar palpites

Da mesma maneira, evite dar palpites desnecessários. Caso alguém, seja membro da família, ou o próprio idoso peça a sua opinião, explique seu ponto de vista de forma educada e sem se impor. Esse tipo de comportamento cria um laço de confiança entre cuidador e cuidado, que é fundamental para manter uma boa convivência com as partes.

Mantenha a discrição

Um dos comportamentos fundamentais para ter um bom convívio com o idoso e sua família é manter a discrição, ou seja, além de evitar dar opiniões que possam gerar algum mal-estar, também é importante evitar contar coisas que causem desentendimentos, como as fofocas.

Além disso, é indicado não expor a sua vida pessoal e ser mais profissional possível, afinal, o cuidador é contratado para manter o bem-estar do idoso e o que interessa é a sua postura profissional diante das situações.

O mais importante para o cuidador é ter a consciência da importância da relação entre idoso e família, para que com seu profissionalismo, possa agir da forma correta em situações conturbadas, já que o mais importante é garantir que o idoso tenha uma velhice mais agradável possível.

Se você quer saber por que o cuidador de idosos é importante, confira este artigo com 5 razões para contratar esse profissional!

Escreva um comentário

Share This