Os sinais vitais são indicadores indispensáveis das funções desempenhadas pelo nosso corpo. Além de indicarem se está tudo bem com o paciente, são de extrema importância para orientação de diagnóstico e acompanhamento da evolução de quadros clínicos.

Esses sinais são medidos para estabelecer padrões e tendências corporais, identificar possíveis problemas fisiológicos e monitorar as respostas ao tratamento aplicado ao paciente.

Você sabe quais são os sinais vitais? Neste artigo vamos responder a essa pergunta e explicar a importância deles, os valores considerados normais e, ainda, entender quais fatores provocam alterações. Confira.

Temperatura corporal

A temperatura corporal indica o equilíbrio entre trocas de calor realizadas pelo meio exterior com o nosso corpo. Na parte externa, ela tende a variar um pouco mais, devido às condições diversas do ambiente. No entanto, internamente, na região dos tecidos profundos, é importante que ela se mantenha relativamente estável.

A temperatura corporal pode ser medida na região axilar (mais comum, embora com menor precisão), pelo reto, via oral (na cavidade bucal) e por meio da pele.

Valores de referência

Os valores da temperatura corporal são medidos em graus Celsius, e são considerados normais quando são os seguintes:

  • temperatura nas axilas: entre 35,8°C a 37°C;
  • temperatura aferida pela boca: entre 36,3°C a 37,4°C;
  • temperatura medida no reto: entre 37°C a 38°C.

Fatores que influenciam o resultado

Acima dos valores mencionados, considera-se estágio febril; temperaturas próximas de 40º, febre alta. Abaixo dos números de referência, temos uma situação de hipotermia.

As principais causas para alteração da temperatura são o clima, estresse, idade, níveis hormonais ou situações de patologias, como gripe, inflamação de garganta, entre outras.

Pulso

O pulso indica a frequência de batimentos do coração que, ao pulsar, transporta sangue pelos vasos periféricos. Com isso, esse sinal vital fornece dados do funcionamento cardíaco e deve ser medido por meio da apalpação de uma das artérias.

Valores de referência

Os valores considerados normais são:

  • para adultos, entre 60 a 100 bpm;
  • para crianças, entre 80 a 120 bpm;
  • em bebês, entre 100 a 160 bpm.

Fatores que que influenciam o resultado

Fatores como  exercícios curtos, temperatura corporal, alguns tipos de medicamentos, hemorragia, alterações posturais e mudanças nas condições pulmonares podem alterar a frequência do pulso.

Pressão arterial

A pressão arterial é o sinal que mede a tensão no sangue na parede das artérias, devido à força com que o coração bombeia o sangue. Ela também indica a quantidade de sangue que está circulando, além da resistência dos vasos.

A pressão sistólica (que é o valor mais alto) é provocada pela contração do ventrículo, e a pressão diastólica (a de menor valor) indica o seu relaxamento.

Valores de referência

A pressão é medida em milímetros de mercúrio. Para um indivíduo adulto, o valor considerado normal é 120/80  mmHg (12/8). No entanto, em algumas condições, valores até 140/90 ou 90/60 podem ser considerados normais.

Fatores que que influenciam o resultado

A pressão arterial acima dos valores de referência é considerada sinal de hipertensão, que pode ter diversas complicações (principalmente quando aliada ao colesterol alto). Abaixo dos valores de referência, temos a hipotensão, que pode causar até desmaios no paciente.

Esses distúrbios são causados principalmente por estresse, alimentação inadequada, temperatura do ambiente, predisposição genética ou problemas de saúde associados.

Respiração

A respiração é o processo que envolve as trocas gasosas entre as células do nosso corpo e a atmosfera. A respiração envolve as fases de ventilação, difusão e perfusão.

Valores de referência

A respiração é medida por meio da observação visual e da escuta do pulmão.  A frequência ideal são os valores a seguir:

  • Em adultos, 12 a 20 inspirações/min;
  • Em crianças, 20 a 25 inspirações/min;
  • Em bebês, 30 a 60 respirações/min.

Fatores que que influenciam o resultado

A alteração da frequência respiratória se dá, principalmente, por causa de exercícios, ansiedade, condições de saúde — como dor aguda — e tabagismo.

E aí, você sabe identificar esses sinais vitais? Ficou com alguma dúvida? Se você quer entender melhor como identificar esses fatores, procure um curso especializado na área e se capacite!

Quer saber mais informações a respeito do assunto? Entre em contato conosco e tire todas as suas dúvidas.

Escreva um comentário

Share This