Musicoterapia para idosos
uma importante ferramenta para a melhora das funções cerebrais 

 

Com a chegada da terceira idade, muitas pessoas passam grande parte do seu tempo na ociosidade. Vivenciar essa situação diariamente pode gerar ansiedade, estresse ou até mesmo depressão.

A musicoterapia para idosos é uma excelente forma de preencher essa rotina e proporcionar momentos de lazer ativo. Por se tratar de uma intervenção que reflete diretamente na evolução do idoso, é fundamental que o cuidador tenha conhecimento sobre essa atividade para também contribuir com esse processo.

Sendo assim, preparamos este post para que você possa compreender detalhes dessa terapia e saber como seu trabalho poderá ajudar no alcance de resultados. Confira!

O que é musicoterapia?
A musicoterapia é uma atividade que utiliza a música com o objetivo de melhorar funções cerebrais, aliviar dores, permitir comunicação, expressão de sentimentos e estimular reações físicas.

Pode ser desenvolvida em ambientes hospitalares, escolas, para grupos ou individualmente e oferece como maior resultado o alcance da qualidade de vida.

Como ela funciona?

A sessão de musicoterapia consiste na interação direta entre o paciente e o musicoterapeuta. Coloca-se uma determinada melodia, e o ouvinte, em estado relaxado, expressa todos os sentimentos e descreve as imagens que surgem em sua mente.

É possível também que o paciente escolha um instrumento durante a sessão, se comunique por meio dele, e o profissional realiza as devidas intervenções de forma musical.

Quem pode aplicar esse tipo de terapia?

Para estar apto a realizar esse tipo de terapia, é preciso realizar uma graduação em musicoterapia ou uma pós-graduação na área.

Quais os benefícios da musicoterapia para idosos?

Reabilita

A musicoterapia possibilita a reabilitação da fala, pois, por meio das músicas, há um estímulo à formação de conteúdos verbais e pensamentos. Além disso, ajuda no resgate de informações do passado, ou seja, também é capaz de reabilitar a memória.

Proporciona bem-estar

Por ser uma atividade prazerosa, durante a sessão desse tipo de terapia, o cérebro passa a produzir a serotonina, uma substância natural que tem a finalidade de causar sensações de bem-estar, felicidade e tranquilidade.

Ajuda portadores de Alzheimer

Além da serotonina, outras quatro substâncias também são produzidas com a musicoterapia: a melatonina, norepinefrina, epinefrina e prolactina. Elas atuam em áreas cerebrais distintas, evitando a perda de memórias recentes e progressão da doença.

Auxilia no tratamento de depressão

As atividades com música induzem pensamentos positivos, consequentemente, idosos que sofrem com depressão apresentam melhora praticamente de forma instantânea.

Permite a socialização

Quando feita em grupo, a musicoterapia permite que o idoso socialize com outras pessoas, atividade que, muitas vezes, com a chegada da terceira idade, acaba sendo pouco realizada.

Quais os efeitos da musicoterapia na vida do idoso?

A terapia musical fará com que o idoso viva a terceira idade de forma participativa e ativa. As atividades manterão o bem-estar físico, psicológico, além de ocupar o tempo ocioso.

Saúde e qualidade de vida poderão ser desfrutadas integralmente por meio de algo presente em nosso cotidiano desde muito cedo: a música.

Como o trabalho do cuidador de idosos contribuirá com essa terapia?

Geralmente, o cuidador passa um longo período de tempo com o idoso. Por esse motivo, ele é a pessoa ideal para observar o progresso que a terapia tem gerado no dia a dia do paciente e informar o nível da evolução à família e ao musicoterapeuta.

Além disso, esse profissional também pode desenvolver atividades que reforcem o trabalho realizado nas sessões de musicoterapia para que o idoso não seja estimulado somente nesse momento.

Quais atividades o cuidador pode realizar para contribuir?

O cuidador pode utilizar objetos que produzam sons, como: panelas, copos e baldes para que o idoso se expresse. Outra opção é colocar músicas e incentivá-lo a memorizá-las e cantar.

Use sua criatividade para criar as atividades, tenha a liberdade de improvisar, mas sempre reconheça as limitações de quem está sendo cuidado.

Você também é indispensável para garantir a saúde de pessoas na terceira idade.

Agora que você tem mais conhecimento sobre a musicoterapia para idosos e sabe também como pode contribuir, aproveite para conhecer quais os cuidados básicos necessários com a saúde dessas pessoas.

Escreva um comentário

Share This