A água é um componente essencial para o corpo humano, uma vez que todas as nossas células precisam dela para manter seu funcionamento adequado. A água contribui para absorção de nutrientes, faz parte do volume de sangue e urina e auxilia na manutenção da temperatura corporal, além de participar de outras funções e de inúmeras reações no nosso corpo.

 

Nos períodos mais frios do ano, a ingestão hídrica precisa ter ainda mais atenção, pois é quando geralmente há maior negligência desse consumo. Isso acontece, por esquecimento devido a ausência de sede, que é muito comum nesses períodos e com maior freqüência no público idoso.

 

Em idosos, o consumo de água precisa de um cuidado especial. Esse público está mais vulnerável à desidratação devido à presença de doenças, ausência de sede e também pelo fato de que, em seu corpo, a composição de água é menor, quando comparada as outras fases da vida. Além disso, habitualmente, o consumo alimentar do idoso é diminuído, privando-o muitas vezes do consumo da água proveniente de alguns alimentos, o que também contribui para sua hidratação corporal.

 

Para identificar a desidratação, devemos ficar atentos aos seguintes sinais: pele seca, olhos sem brilho e com dificuldade de formação de lágrimas, lábios e o interior da boca secos e constipação intestinal.

 

A recomendação da OMS é que os idosos consumam, no mínimo, 2 litros de água diariamente, o que corresponde a cerca de 6 a 8 copos. É importante ter o cuidado de oferecer a maior parte dessa quantidade de água em períodos entre as refeições e não durante as mesmas, para não diminuir ainda mais o consumo alimentar.

Uma alternativa para aumentar a ingestão hídrica em idosos, é preparando uma água saborizada. A água saborizada consiste no acréscimo de pedaços ou rodelas de frutas (abacaxi, limão, laranja, morango, etc), e/ou lascas de gengibre e folhas de hortelã, por exemplo, em uma jarra com água. É importante salientar que a água saborizada não pode ser a base de ingestão hídrica, mas sim pode ser consumida intercalando com a água natural e de acordo com a prescrição do nutricionista.

Mas, atenção: o acompanhamento nutricional é muito importante para que o idoso seja tratado de forma individualizada e tenha sua necessidade hídrica calculada de forma precisa (principalmente no caso de doenças cardíacas e renais).

Escreva um comentário

Share This