Hoje com a pandeia do Covid-19, tanto se fala na higienização das mãos e alimentos, mas em se tratando de idoso essa precaução é antiga e rigorosa. Manter a boa higiene pessoal é fundamental para a saúde de qualquer ser humano. Mas o cuidado com a higiene do idoso é essencial na função do Cuidador de Idoso.

Isso, porque quando o idoso perde a sua capacidade cognitiva ou motora, ele pode não conseguir ter os cuidados mínimos consigo mesmo. Daí, a necessidade do profissional para acompanhá-lo nessa atividade.

Dependendo das condições do paciente, o cuidado com a higiene pessoal do idoso pode ser apenas um incentivo ou auxílio em alguns momentos. Por exemplo, pentear o cabelo, fazer a barba ou cortar as unhas.

No entanto, se o idoso tiver suas capacidades muito mais comprometidas, pode ser necessário auxiliá-lo também nos seguintes momentos:

– ir ao banheiro;
– tomar banho;
– escovar os dentes;
– trocar fraldas;
– limpeza do corpo em geral;
– cuidados com aparência.

Todas essas medidas realizadas fazem parte de um conjunto de ações que contribuem para zelar pela saúde e prevenir doenças mantendo o bem-estar e conforto do idoso. O cuidador deve ficar atento para eliminar a mínima possibilidade de sujeira, desleixo ou algo parecido não apenas no corpo do idoso, mas também em sua alimentação, vestimenta e ambiente em que se encontra, tornando-o confortável, agradável e seguro.

Em alguns casos, pode ser preciso auxiliar no preparo de refeições, escolha de vestuário ou outras tarefas cotidianas, indo além de apenas observar se está tudo limpo. Ainda nos cuidados da alimentação, é importante auxiliar no preparo e montagem do cardápio de acordo com orientações nutricionais e até na ida ao mercado para ajudar na compra dos alimentos.

Entretanto, o cuidador não deve ser um empregado doméstico. Apesar de algumas famílias buscarem um faz-tudo, aquele que cozinhe, limpe, lave, passe e cuide do paciente. O trabalho deve se restringir apenas ao idoso e a coisas relacionadas a ele ou outros pontos descritos previamente em contrato.

Vale destacar que esse cuidado não deve substituir o trabalho de profissionais de enfermagem, muito menos o do médico. O cuidador deve ser um aliado nesse processo.

Além dos deveres do cuidador de idoso é importante saber que existem algumas características que podem ser aprimoradas para melhorar o desempenho no trabalho, tornando-o mais humano e próximo do paciente. Ter empatia para se colocar no lugar do idoso, paciência com as suas dificuldades, apresentar flexibilidade com o inesperado são alguns dos pontos que ajudam no desenvolvimento profissional e pessoal e que podem tornar a vida do paciente muito mais agradável.

Isso inclui seguir as recomendações médicas, ministrar medicamentos, trocar curativos e monitorar a saúde geral do paciente ao longo do dia (se apresenta vômitos, diarreia ou outra alteração fisiológica).

 

Se precisar de alguma informação, entre em contato pelo Whatsapp. 

× Fale com a Dila!