Como viver bem durante a velhice

A importância do exercício físico

O envelhecimento populacional é uma tendência mundial e é caracterizado como um aumento do número de pessoas acima de 60 anos, em países subdesenvolvidos, considerados idosos. Sabe-se que no Brasil, a estimativa é de que em 2050, a população idosa corresponda a aproximadamente 29,3%, segundo dados do IBGE.

Estima-se que os Brasileiros tenham um ganho na expectativa de vida considerável. Em 2010 a expectativa de vida do brasileiro era de aproximadamente 73.1, em 2050 poderá atingir os 81.3 anos.

Aliado a esse crescimento, aumenta a preocupação em como envelhecer. Viver mais também significa ter uma exposição maior a doenças crônico degenerativas e as vulnerabilidades físicas, psicológicas e sociais provenientes do processo de envelhecimento. Tudo isso contribui para que haja um questionamento importante: Como viver bem durante a velhice?

Estudos recentes vêm mostrando que a melhor maneira de ter uma longevidade plena é praticar exercícios físicos, manter uma alimentação saudável e boas relações afetivas. Ter um propósito de vida e ser resiliente também parece ser características importantes para uma longevidade feliz e saudável, já que o termo saúde significa bem estar físico, mental e social como se refere a OMS.

O processo de envelhecimento é dinâmico e progressivo.  É caracterizado como alterações biológicas, funcionais, psicológicas que com o passar do tempo tendem a determinar uma acentuada perda da capacidade que o indivíduo possui de se adaptar ao meio ambiente. Tais perdas podem ter início aos 30 anos e se acentuam aos 60, dependendo do órgão e da individualidade biológica.

Não desistir, é o primeiro passo..

O segundo é se informar.

Ter dificuldade de adaptar-se ao meio significa ter uma diminuição da capacidade funcional significativa, ou seja, menos autonomia e independência. Autonomia é a capacidade que o indivíduo possui de tomar decisões e gerenciar a sua própria vida. Relaciona-se com a habilidade de realizar, sem auxílio de outras pessoas, as atividades de vida diária.

Inúmeros estudos têm relacionado a melhora da capacidade funcional em idosos através da pratica de exercício físico. Sem dúvida, tal pratica mesmo em idades avançadas, melhora a composição corporal do idoso. Afastando a sarcopenia e a osteopenia, perda de massa muscular e óssea, respectivamente. Ocorrendo assim o aumento da força muscular, da flexibilidade e do equilíbrio. Além disso, os exercícios também melhoram a instabilidade postural.  A principal causa que leva grande idosos  a hospitalização e representa a sexta causa de morte para a população idosa.

O aumento do condicionamento físico, juntamente aos benefícios listados acima, levam à prevenção e a melhora de sintomas consequentes de doenças crônico-degenerativas comuns ao envelhecimento, configurando também enorme benefício e melhora da qualidade de vida em indivíduos longevos.

Em primeiro lugar: Praticar exercício físico também impacta positivamente no convívio social do idoso, muitas vezes o idoso que participa de aulas em grupo sente melhora na sua rede de relacionamentos, o que leva ao aumento da auto estima e bem estar. Além de muitas vezes minimizar a sensação de perdas inerente desta fase da vida.

A influencia neuronal do exercício também é positiva. Durante o exercício ocorrem cascatas moleculares e celulares que mantém a plasticidade do cérebro, promovem a vascularização, a neurogênese, e mudanças funcionais na estrutura neuronal. Em suma, são importantes benefícios que são alcançados com a melhora das funções executivas.

Muitos outros benefício podem ser listados quando se trata de exercício físico e envelhecimento.

É importante que a prática de exercícios físicos tenha acompanhamento de um Educador Físico qualificado, isto é, com experiência em relação à população idosa. Esta população apresenta particularidades e exige um olhar cuidadoso e multifacetado do profissional.

Prof. Esp. Talita Cezareti

CREF 029697-G/RJ

Educadora Física pela UFRJ

Especialista em Gerontologia pela UnAti/UERJ

Idealizadora do Programa Envelhecer Bem – exercício físico para idosos

3 Comments

  1. Pingback: Demência Senil – saiba o que é

    • Dila Oliveira Reply

      A terapia ocupacional é excelente e imprescindível. Ideal um trabalho multidisciplinar. Abraços!

  2. Pingback: O que é felicidade pra você?Como você sabe se está feliz?

Escreva um comentário

Share This