Envelhecer com qualidade de vida, certamente, é o objetivo de todos nós, não é mesmo? No entanto, a terceira idade apresenta alguns problemas de saúde que precisam da atenção de familiares e de cuidadores de idosos, a fim de evitar futuras complicações.

O artigo de hoje aborda as 6 doenças comuns em idosos, os sintomas, a prevenção e os tratamentos disponíveis para cada uma delas. Confira a seguir!

1. Iatrogenia

O nome da doença significa o uso de medicamentos em excesso. Estudos indicam que a população acima de 65 anos ministra, aproximadamente, 20 fármacos por dia em decorrência de várias doenças crônicas, o que resulta em diversos efeitos colaterais.

Os sintomas

Alterações de comportamento e de memória, quedas constantes, crises de ansiedade e aparecimento de lesões cutâneas são os principais sintomas da iatrogenia. Entre as razões que causam a doença, pode-se citar: diminuição da capacidade intelectual do idoso, erros de diagnósticos ou falta de capacitação de profissionais da área da saúde.

A prevenção

O cuidador de idosos deve comunicar ao médico sobre todos os medicamentos que o idoso usa no momento. Indique os horários e o tempo em que a pessoa utiliza os fármacos. Oriente, também, o idoso a não se medicar sozinho e explique para ele quais são as consequências desse ato.

O tratamento

O tratamento depende de suas causas e deve ser ministrado pelo médico. Em geral, o uso de medicamentos e procedimentos clínicos é alterado.

2. Insuficiência cardíaca

Caracterizada pela incapacidade de o coração bombear sangue o suficiente para todo o corpo, a doença se desenvolve a longo prazo ou, também, de forma repentina. Existem vários fatores de risco que desencadeiam a enfermidade. Entre eles estão: pressão alta, diabetes, apneia do sono, infecção viral, tabagismo e consumo de álcool. 

Os sintomas

Os sintomas de insuficiência cardíaca mais comuns são: falta de ar após atividade física ou depois de um longo período em repouso; tosse constante; ganho de peso; diminuição do apetite; vontade de urinar várias vezes durante a noite; palpitações freqüentes; e inchaços das pernas e dos tornozelos.

A prevenção

A melhor maneira de evitar a insuficiência cardíaca é ter um estilo de vida saudável. Ou seja, ter uma dieta equilibrada, praticar exercícios com regularidade, não fumar e não ingerir álcool e consultar um cardiologista periodicamente. 

O tratamento

O tratamento costuma ser específico para cada paciente e depende de fatores, como: o estágio da doença, a causa, as complicações, entre outros. No entanto, é importante que o idoso restrinja o consumo de sal, mantenha o peso adequado e evite gorduras e frituras. 

3. Mal de Alzheimer

Segundo dados da Associação Brasileira de Alzheimer (Abraz), cerca de 6% das pessoas com mais de 60 anos desenvolvem a Doença de Alzheimer no Brasil. Ela é caracterizada pela degeneração do sistema neural, que provoca a diminuição gradativa das funções cognitivas (atenção, memória, orientação e linguagem).

Os sintomas

No início, o paciente apresenta perda da memória recente, lembrando-se apenas de fatos ocorridos no passado distante. Ao decorrer do tempo, o idoso começa a ter dificuldades de concentração e aprendizado. O estágio mais avançado da doença já implica em dependência de outras pessoas para executar ações simples (como ir ao banheiro, por exemplo).

A prevenção 

Segundo o Relatório Global de Alzheimer 2014, há evidências relevantes de que o tabagismo, a baixa escolaridade, a hipertensão e a alimentação inadequada são fatores que desencadeiam doenças cerebrais degenerativas na terceira idade.

O tratamento

doença não tem cura e o tratamento visa, apenas, a proporcionar melhor qualidade de vida ao idoso. Os medicamentos não impedem a evolução da doença, porém podem amenizar os efeitos da enfermidade. 

4. Depressão

depressão é uma das doenças comuns em idosos. Muitas pessoas que convivem com idosos, entre eles o cuidador de idosos, podem confundir a doença com uma tristeza passageira. Porém, é necessário ficar atento aos sintomas dela.

Os sintomas

Os sintomas que caracterizam a doença costumam aparecer com frequência e por tempo indeterminado. Cabe aos familiares e ao cuidador de idosos ficarem atentos à tristeza profunda sem motivos aparentes, ao pessimismo em situações cotidianas, às alterações no apetite e dificuldades para tomar decisõe.

A prevenção

É importante que o idoso seja incentivado a praticar esportes moderados no dia a dia, participe de atividades sociais, conviva com familiares e amigos, tenha uma alimentação adequada e possa falar de seus sentimentos com pessoas que ele confie.

O tratamento

O ato de escutar e não julgar o idoso é o primeiro passo para se tratar a depressão. É de extrema importância identificar os motivos que levam o idoso a se sentir desestimulado em relação à vida. Em casos crônicos, o médico pode receitar antidepressivo e atividades psicoterápicas.

5. Diabetes

O diabetes tipo 2 está entre as doenças mais comuns em idosos. A enfermidade gera uma rejeição do organismo em relação à produção de insulina, o que impede o organismo de processar a glicose de modo adequado.

Os sintomas

Sede e fome excessiva, fadiga, visão desfocada e respiração pesada são alguns sintomas que indicam o diabetes tipo 2. Os cuidadores de idosos devem estar atentos a essas alterações no cotidiano de seu paciente. 

A prevenção

Basicamente, pode-se prevenir o diabetes tipo 2 por meio de uma dieta balanceada e saudável. Também, é importante praticar exercícios físicos com regularidade e fazer exames clínicos periodicamente.

O tratamento 

 O tratamento do diabetes tipo 2 consiste, basicamente, no monitoramento da taxa glicêmica do paciente, assim como em uma dieta sem carboidratos, gorduras e frituras. É importante que o idoso pratique exercícios físicos diariamente. Se o médico achar necessário, serão ministrados medicamentos específicos para cada caso.

6. Osteoporose

A doença acomete a estrutura dos ossos, o que pode provocar quedas e fraturas em várias regiões do corpo. Geralmente, a doença é descoberta logo após o idoso sofrer algum tipo de fratura.

Os sintomas

A osteoporose é uma doença silenciosa, porém é possível identificá-la nos seguintes sintomas: dores constantes no pescoço e nas costas, deformidade na coluna vertebral e sensibilidade nos ossos.

A prevenção

A prevenção da osteoporose consiste em ter, ao longo da vida, uma dieta baseada em alimentos ricos em cálcio e vitamina D. As atividades físicas também devem fazer parte da rotina.

O tratamento 

A osteoporose não tem cura. No entanto, é possível controlar a doença por meio de medicações receitadas pelo médico. Praticar atividades físicas diárias e seguir uma dieta equilibrada são ações que ajudam a controlar a doença.

Se você gostou do artigo sobre as doenças comuns em idosos e tem interesse em outros assuntos como este, basta acessar o nosso blog!

 

Escreva um comentário

× Fale com a Dila!