É o “Dia Mundial da Saúde Mental” em época de COVID-19

Dia 10 de outubro é o Dia Internacional da Saúde Mental e, segundo a OMS, o Brasil foi eleito o país mais ansioso do mundo. E em tempos de pandemia, vale a pena ficar mais ainda alerta com dicas de prevenção à doença. A data foi instituída em 1992, pela Federação Mundial de Saúde Mental como alerta da prevenção para todos.

Leia abaixo o que diz o médico psiquiatra Dr. Elie Leal de Barros Calfat (Diretor Técnico do CAISM) no site da Santa Casa da Misericórdia – São Paulo:

Os problemas relacionados a saúde mental são considerados pela OMS (Organização Mundial de Saúde) uma prioridade devido ao grande número de dias de incapacidade que o transtorno mental pode causar.

Transtornos mentais acompanham a história da humanidade – relatos de quadros depressivos podem sem encontrados em textos antigos, como poemas gregos e a Bíblia.

Pela sua característica de acometimento em pessoas jovens, os transtornos mentais, principalmente os mais graves, como esquizofrenia e transtorno afetivo bipolar, trazem impacto significativo não só na vida do paciente, como também na de seus familiares – e outros, como a depressão e quadros ansiosos, podem igualmente levar a um grande sofrimento subjetivo.

É importante lembrar: transtornos mentais são doenças como quaisquer outras e, desta forma, passíveis de tratamento com grande chance de melhora e cura em muitos casos. Reconhecer estes transtornos como doenças ajuda a vencer o preconceito de se falar sobre o assunto e mesmo de identificar casos que exijam atenção ao nosso redor. Muitos preconceitos já foram vencidos e hoje as famílias e a sociedade conversam livremente sobre temas como sexo, drogas e outros tantos temas censurados anteriormente. Por que não também se conversar sobre isto?

Desde sua fundação, o Serviço de Psiquiatria da Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, com sede atual no CAISM (Centro Integrado de Atenção à Saúde Mental – Vila Mariana), se dedica ao tratamento de saúde mental – são mais de 2000 atendimentos ambulatoriais ao mês e em torno de 700 no Pronto-Socorro.

Embora a maior quantidade de pacientes sofra de quadros depressivos ou de transtornos ansiosos, mais de 30% dos pacientes atendidos em ambulatório padecem de transtornos psicóticos e tem como tratamento adequado a reabilitação e ganho de qualidade de vida novamente.

Há muito tempo o tratamento em saúde mental não é apenas farmacológico, sendo também executado por uma equipe de profissionais como psicólogos, terapeutas ocupacionais, assistentes sociais, fonoaudiólogos, enfermeiros, nutricionistas e auxiliares de enfermagem. Este especialistas buscam, além da diminuição do sofrimento do paciente, a sua reabilitação psíquica e a busca das habilidades perdidas por conta da doença.

O primeiro passo é vencer o preconceito de pedir ajuda. Transtornos mentais são doenças e, como tal, podem ser tratados. Psiquiatras são médicos como todos os outros e os mais qualificados a tratar destas distúrbios.

Fonte: Dr. Elie Leal de Barros Calfat (Diretor Técnico do CAISM)
Diretor Técnico Médico: Rogério Pecchini – CRM-SP 83165/RQE 47882

Fonte: Santa Casa da Misericórdia de São Paulo

Se precisar de alguma informação, entre em contato pelo Whatsapp. 

× Fale com a Dila!