Os recentes progressos da área médica e a maior disponibilidade a tratamentos geriátricos têm influenciado em mudanças estruturais na pirâmide etária brasileira. Ou seja, nossa população está se tornando mais velha e cada vez mais dependente do auxílio de pessoas com habilidades para cuidar de idosos.

Essa dependência, às vezes, ocorre até para a execução de tarefas simples do cotidiano, mas que nem sempre o idoso consegue realizar sozinho. Por isso, quem pretende trabalhar nessa área precisa se preparar, já que a profissão exige regras e conhecimentos, a fim de que o cuidador desenvolva habilidades para exercer a função adequadamente.

Se você gosta de ajudar pessoas e está em busca de uma nova profissão, que tal conferir 5 habilidades necessárias para se tornar um profissional capacitado para cuidar de idosos e ser mais competitivo nesse ramo? Continue neste post e boa leitura!

Quais as principais habilidades para cuidar de idosos?

O estilo de vida moderno torna as pessoas cada vez mais ocupadas. Sendo assim, quem possui idoso na família raramente consegue ter tempo para prestar a assistência que eles merecem. Ou mesmo quando possuem disponibilidade, não se sentem preparados.

Nessa conjectura, a melhor opção é contratar um cuidador que possa fazer esse trabalho. Entretanto, para desempenhar essa tarefa com carinho e dedicação, o profissional precisa possuir um perfil condizente com os caracteres exigidos pela profissão.

O primeiro ponto é gostar do que faz. O segundo é procurar se especializar e desenvolver habilidades necessárias à prestação de um serviço de qualidade, baseado em princípios e valores essenciais como o respeito, a empatia e a paciência.

Além dessas, outras características precisam ser consideradas em prol do bom exercício da profissão. Confira:

1. Porte físico

O cuidador deve ter boas condições de saúde física, pois dependendo do perfil e da condição clínica do idoso, pode ser preciso segurá-lo ou movê-lo durante a realização de suas tarefas diárias. Alguns idosos envelhecem com saúde, enquanto outros podem permanecer acamados e exigir cuidados específicos, como auxílio durante o banho, por exemplo.

2. Bom senso

Desenvolver o bom senso para permitir avaliar e tomar decisões corretas em situações que exijam iniciativas rápidas também é fundamental. Principalmente na ausência de familiares ou em situações emergenciais, que possam implicar riscos à saúde do paciente.

3. Autocontrole e responsabilidade

O cuidador precisa estar preparado para enfrentar situações críticas. Diante das maiores dificuldades, o autocontrole é fundamental para conseguir manter a calma, raciocinar com clareza e buscar, com responsabilidade, a melhor solução.

Como uma característica própria da senilidade, o idoso fica mais vulnerável, sensível e pode alterar o comportamento e se tornar agressivo, mesmo sem motivo algum. E em momentos delicados assim, é preciso saber contornar o problema e, principalmente, assegurar que o lado emocional dos idosos não seja afetado.

4. Capacidade de organização

A pessoa deve ser muito bem organizada e assídua em seus compromissos, pois será responsável pela administração de medicamentos ao idoso. Tanto as prescrições como os eventuais procedimentos, como o acompanhamento da pressão arterial ou dos valores de glicemia, por exemplo, precisam ser realizados nos horários corretos.

5. Tolerância e otimismo

Trabalhar com idosos exige o desenvolvimento de uma postura tolerante e diferenciada. Mediante algumas situações indelicadas, a tolerância e o otimismo serão determinantes para conduzir eventuais desajustes que possam ocorrer.

Independentemente da situação, o profissional precisa promover meios para melhorar a qualidade de vida do idoso. Atitudes otimistas e bondosas devem ser priorizadas para tornar o ambiente alegre, agradável e acolhedor e, dessa forma, garantir o bem-estar de quem tanto precisa de sua ajuda.

Como desenvolver essas habilidades?

A forma mais segura de desenvolver essas habilidades e de se tornar um profissional cada vez mais competitivo é fazer um curso de cuidador de idoso. Porém, é fundamental escolher uma escola que tenha preocupação em formar cuidadores que realmente entendam quais são as reais necessidades de um idoso.

Além do mais, busque alternativas de cursos que realmente sejam um diferencial: avalie a grade curricular, a flexibilidade dos horários, a garantia de certificado e a indicação para estágios supervisionados, que são imprescindíveis para treinar as habilidades para cuidar de idosos.

Gostou deste artigo? Siga-nos pelo Facebook e Instagram e acompanhe mais conteúdos exclusivos!

4 Comments

  1. MARCIA MARIS Reply

    Tenho dúvida na escala de PLANTÃO. É como devo levantar um idoso acamado. Obrigada.

    • Dila Oliveira Reply

      Olá Marcia Maris!

      Que bom tê-la em nosso blog.

      As escalas são distribuídas da seguinte forma:

      12hx36h – você trabalhará 12h seguidas, manhã OU noite, e descansará 36h, ou seja, descansará 1 noite e um dia inteiro.
      Ex: Entra 07h e sai às 19h, do dia 10/03. Fica em casa dia 11/03 e volta a trabalhar dia 12/03 no mesmo horário.

      24hx48h – você trabalhará 24h seguidas, manhã E noite, sairá no dia seguinte. Retornará 2 dias depois.
      Ex: Entra no dia 10/03 às 7h e vai sair no dia 11/03 às 7h. Descansa dia 11/03 após as 07h e dia 12/03 o dia inteiro, retornando ao trabalho dia 13/03 as 7h.

      Em relação a mobilidade do idoso, sugiro que procure alguma aula presencial com fisioterapeuta. Você precisará ter muito cuidado com a sua coluna e não prejudicar o idoso.

      Se você for do Rio de Janeiro, termos está aula em nossa unidade Bonsucesso nos dias 26/04/2018 e 12/05/2018.

      Espero ter ajudado!

      Gratidão

  2. MARCIA MARIS Reply

    É quanto devo cobrar o valor de um plantão e se tem diferença sexta , Sábado e DOMINGO ?

    • Dila Oliveira Reply

      Olá! que bom tê-la em nosso blog.
      Bom, primeiro precisaria saber qual região você mora. A Dila Oliveira é localizada no Rio de Janeiro, sendo assim, as informações fornecidas aqui serão de acordo com a nossa realidade.
      De acordo com a Alerj, o salário mensal do cuidadores de idosos (CBO 5162-10), passa a ser R$ 1.237,33 – publicação 07/02/2018.
      A nossa empresa não cobra diferente nos finais de semana, mas exitem empresas e profissionais que sim. Tudo dependerá do acordo estabelecido com o seu cliente. Quanto mais claro for o início da negociação melhor para os dois.
      Em média é cobrado R$180,00 a 200,00 para plantão 12hx36h.
      Espero ter ajudado.
      Gratidão!

Escreva um comentário

Share This